Exemplos de comportamento antiético em uma organização

Nos negócios, a reputação de sua empresa é um grande contribuinte para o sucesso de sua empresa. Se seus clientes perceberem que você é uma organização administrada de forma ética, é mais provável que continuem a fazer negócios com você e até mesmo recomendem você a outras pessoas. Por outro lado, se sua organização mostrar sinais óbvios de comportamentos antiéticos, você pode enfrentar um problema de relações públicas ou, no final das contas, perder negócios. A atenção a algumas das seguintes áreas problemáticas e a promoção de uma cultura corporativa ética podem colocar sua empresa no caminho certo.

1. Roubo de tempo e materiais

Existe a piada corrente sobre roubar canetas do armário de suprimentos de escritório para uso pessoal, especialmente se você for demitido, mas o fato é que o roubo de funcionários é um problema que custa às empresas americanas milhões de dólares a cada ano. Em alguns casos, peças ou suprimentos de equipamentos roubados podem não significar muito, mas em outros casos, os funcionários desenvolveram golpes lucrativos para fraudar fornecedores, redirecionar fundos ou assinar cheques fraudulentos.

No entanto, os funcionários também podem "roubar" tempo e dinheiro de seu empregador de maneiras que são menos perceptíveis e, a princípio, podem até não parecer grande coisa. Preencher as planilhas de tempo com alguns minutos extras ou aumentar o valor em dólares em um relatório de despesas pode parecer perfeitamente razoável para alguns, mas são comportamentos antiéticos que roubam dinheiro do proprietário de uma empresa. Até mesmo o tempo gasto verificando e respondendo a e-mails pessoais em um telefone, visitando mídias sociais no computador ou falando ao telefone para chamadas não emergenciais durante o horário de trabalho infringe o tempo destinado à empresa.

2. Uso indevido de tecnologia da empresa

A tecnologia mudou a maneira como trabalhamos, nos conectamos com outras pessoas e passamos nosso tempo de lazer. Além do tempo pessoal gasto em dispositivos tecnológicos, alguns trabalhadores usam computadores ou equipamentos da empresa para promoção pessoal ou projetos não relacionados ao trabalho. Procurar outro emprego ou fazer trabalho freelance online durante um emprego é um comportamento antiético. Acessar sites para fins de elicitação, como jogos de azar ou pornografia, não é apenas antiético, mas pode até ser ilegal em algumas situações.

3. Mentir sobre o desempenho

Assumir a responsabilidade por suas ações e desempenho é um sinal de um funcionário ético e confiável. No entanto, muitos funcionários mentem sobre a conclusão de uma tarefa atribuída, revelam a verdade sobre o sucesso ou o fracasso de uma ligação de vendas ou falsificam seus números para se tornarem melhores entre seus colegas. Às vezes, se a liderança de uma organização não se preocupa com a ética, eles podem pedir a seus funcionários que encobram um incidente ou façam algo secretamente para esconder uma indiscrição.

4. Ultrapassando os limites sexuais e assédio

O assédio sexual é um tema quente em todos os lugares, e muitos departamentos de RH criam diretrizes rígidas e oferecem treinamento para evitar quaisquer ocorrências em seus locais de trabalho. No entanto, cruzar a linha e não manter os limites sexuais adequados também é uma questão de ética. Embora ambas as partes em um relacionamento específico possam ser consensuais, seu relacionamento pode nem sempre ser apropriado. Por exemplo, se um psicólogo começa a namorar um de seus pacientes, pode ser considerado antiético porque ele pode ter se aproveitado da outra pessoa durante um período vulnerável de sua vida.

5. Falha em manter um local de trabalho seguro

Embora nem todo local de trabalho seja inerentemente perigoso, algumas zonas de trabalho requerem precauções especiais para que os trabalhadores sejam mantidos em segurança. Proprietários e gerentes de empresas que desconsideram a segurança como prioridade estão colocando seus funcionários em risco e agindo de forma antiética. Incidentes que resultam em lesões podem se tornar questões legais, resultando em várias penalidades.

6. Quebra de contrato

Em alguns setores nos quais as informações proprietárias são confiadas aos funcionários, os trabalhadores muitas vezes são obrigados a assinar declarações de sigilo como parte de seu contrato de trabalho. Os contratos de não divulgação estipulam que os funcionários não compartilharão com um concorrente (ou qualquer outra pessoa) as particularidades de uma tecnologia, design ou produto específico, por exemplo. Se um funcionário revelar segredos comerciais a um concorrente ou usar as informações pessoalmente para obter lucro, o funcionário estará violando o contrato.

Postagens recentes